DISCIPLINAS

Velocidade, técnica,... ESPETÁCULO !

Durante os Campeonatos do Mundo de esqui alpino, os melhores esquiadores e esquiadoras de mais de 70 países reúnem-se para oferecer um espetáculo emocionante nas sete disciplinas de descida livre, supergigante, slalom gigante, slalom, combinado alpino, paralelo e paralelo por equipas. 13 corridas emocionantes para alcançar o pódio.

Estas são as disciplinas:

DH - DESCIDA LIVRE

A descida livre é a disciplina de velocidade dentro do mundo do esqui alpino. Os atletas alcançam velocidades superiores a 130 km/h em competição, e o controlo, a técnica e a concentração são essenciais ao longo do percurso.

A pista Àliga do sector El Tarter de Grandvalira reúne desnível, diagonal com contravertente, saltos, curvas, zona de deslizamento, largura, etc. A saída está situada a 2.476 m, tendo por diante uma descida de cerca de 3 km, com troços já míticos como o Salt del Túnel, o Peralt "e", "Il Curvone" ou o último salto, chamado de Salt del Ton. Em 2016, a Àliga acolheu a primeira descida da Taça do Mundo de esqui alpino nos Pirenéus e, em 2019, celebraram-se as Finais da Taça do Mundo de esqui alpino, que regressarão já em 2023.

SG - SUPERGIGANTE

O Supergigante é uma disciplina de velocidade, mas de grande exigência técnica, uma combinação perfeita para que os corredores ofereçam um grande espetáculo cheio de emoção.

A pista Àliga, pelas suas características, tem todos os ingredientes para se converter numa pista de referência no calendário desta disciplina. Numa única descida, combinando a passagem por portas e a velocidade, os atletas alcançam velocidades superiores a 100 km/h.

Esta disciplina será disputada na pista Àliga, onde os corredores "voam" e as bancadas vibram com cada exibição.

AC - COMBINADO ALPINO

O combinado alpino é um desafio para os melhores esquiadores, que têm de lutar contra o cronómetro para alcançar o menor tempo numa manga de descida ou supergigante e numa manga de slalom.

Duas disciplinas com requisitos técnicos muito diferentes, mas nas quais os corredores mais polivalentes poderão brilhar.

O espetáculo está garantido!

GS - SLALOM GIGANTE

O slalom gigante é uma disciplina do esqui alpino com a qual o público pode desfrutar de descidas que reúnem velocidade, trajetórias vertiginosas e espetacularidade. Esta disciplina requer dos corredores uma condição física excelente, uma estratégia e uma precisão extrema nos seus traçados ao longo de toda a corrida, assim como uma força mental excecional para suportar a pressão durante duas mangas consecutivas.

A pista Avet de Soldeu é o cenário perfeito para poder assistir às competições de slalom gigante em todo o seu esplendor.

SL - SLALOM

Técnica e precisão são os elementos-chave na disciplina estrela do esqui alpino: o slalom.

O slalom é uma disciplina com requisitos muito técnicos, onde qualquer erro de cálculo por parte dos corredores pode implicar ficar de fora da corrida. Os traçados requerem descidas rápidas e uma grande intensidade em todo o momento.

A pista Avet acolheu em 2012 a competição de slalom, no âmbito da primeira Taça do Mundo de esqui alpino celebrada no Principado.

PAR - PARALELO

O paralelo, pela sua característica única em que os corredores competem dois a dois para passar na eliminatória, é uma disciplina em que o espetáculo é garantido desde o minuto zero e faz suster a respiração aos espetadores durante uma manhã intensa em que os esquiadores apelam ao seu espírito competitivo mais puro.

Uma pista, dois traçados idênticos, dois corredores e uma luta para bater o rival.

Um duelo vertiginoso numa corrida de contrarrelógio para chegar à linha de chegada em primeiro lugar.

ATE - PARALELO POR EQUIPAS

Da fusão do espetáculo do paralelo com a competição por equipas surge uma competição com um ambiente irrepetível em nenhuma das outras disciplinas.

A luta entre países desenvolve-se num traçado rítmico e rápido, no qual a soma dos quatro corredores levará a que cada nação passe de eliminatória ou fique eliminada. Este suspense fornece os ingredientes imprescindíveis para um espetáculo emocionante num evento de grande nível, onde a individualidade se coloca ao serviço do coletivo liderado por uma bandeira.